Harry Potter - Golden Snitch 2

Pottermaniacos

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Meganime tem concurso de cosplay, torneio de games e RPG

Há quem classifique como cultura nerd, e há quem espere um festival só de "japoneses" participando. Um dos organizadores do evento, o livreiro Walter Feliz, 25, logo indica que não é bem assim. "Do nosso público, 70% é formado por brasileiros e 30% por descendentes de japoneses", diz. A segunda edição do Meganime será realizada neste fim de semana, com diversas opções de entretenimento para quem é adepto da cultura pop japonesa.
Quem conferiu o evento de dois dias no ano passado, este ano pode esperar ampliações nas ideias que deram certo e novidades para aproveitar mais as atrações. "O que foi bom no ano passado foi mantido, e o que não deu certo, foi melhorado", explica Feliz. Segundo ele, o objetivo é tornar os dias de overdose de cultura nipônica em algo tradicional. "Para as pessoas saberem e esperarem que em tal mês tem Meganime", completa.
Além do tradicional concurso de fantasia, o cosplay, os participantes do evento poderão conferir o campeonato de games, matsuri dance, bandas de rock japonês entre outras atividades que acontecerão simultaneamente.
"O espaço para jogar RPG triplicou e ampliamos também a exposição de miniaturas", conta Feliz. Para quem não conhece tanto de animes, uma das salas temáticas será sobre Harry Potter. "Abrimos espaço, uma parceria, para oferecer algo mais diferenciado", diz.
Quem ficou responsável pela sala Harry Potter foi o membro da Potterish, George Adorno, 18, que adianta a programação da novidade: "Teremos quiz sobre a história, e o duelo também não poderia faltar, muita gente procurou."
O cuidado na preparação do evento não é restrito aos organizadores. A estudante Giovanna Moreira Pacco, 18, frequenta eventos de anime desde 2007, e cuida pessoalmente de cada fantasia que usa nas edições de que participa. Para este ano, ela espera curtir mais os dois dias de Meganime.
"No ano passado, não consegui fazer nada, minha fantasia pesava 10kg e tinha uma capa enorme. Eu mal conseguia me mexer", conta. Ela pretende ir de cosplay no domingo e, no sábado, de Lolita – referência à personagem do clássico romance homônimo de Vladmir Nabokov (adaptada para o universo cosplay, contudo, a ninfeta criada pelo escritor russo naturalizado norte-americano vira uma criança vitoriana).
"Demorei quatro anos para ter coragem de me fantasiar de Lolita, as roupas são bem caras e existem várias regrinhas que muitas meninas não seguem", explica.
Uma das organizadoras do Meganime, Karina Ribeiro Feliz, 27, comenta que em eventos assim as pessoas podem aproveitar muito mais do que simplesmente se fantasiar do personagem favorito. "É a hora de interagir com outras pessoas, assumir uma dupla personalidade, que se refere ao personagem que você interpreta. Dá para encontrar pessoas que gostam das mesmas coisas que você."
Prova disso é a estudante Giovanna, que fez vários amigos durante os eventos. "Hoje eu conheço gente de Londrina, São Paulo e Curitiba", relata. Este ano, ela vai participar também de um evento em São Paulo, que acontece em dezembro, mas dá preferência ao que é preparado e realizado na região.
"Os eventos do Paraná são melhores que os de fora, você tem mais opções do que fazer. O pessoal que vem de fora comenta isso também", diz.